Rota das Cascatas dos Campos de Cima da Serra

Entre uma colina e outra, os Campos de Cima da Serra, região típica do RS, escondem diversas cascatas e cachoeiras que fazem os olhos brilharem. Com tantas cascatas para serem apreciadas, foi preciso criar a Rota das Cascatas para visitar todas as belezas de Bom Jesus. E já adianto, separe no mínimo dois dias para conhecer e mergulhar em todas as quedas.

Há duas rotas das cascatas em Bom Jesus, uma com 14km, a qual inicia passando pelo Mirante da Ferradura, depois segue até a Cachoeira do Rio Cerquinha e a Cascata dos Stumpf, finalizando com um banho na Cascata da Ferradura. Há uma outra rota das cascatas, com 10km, que inicia na Cascata das Pedras, passa pela Cascatinha da Caverna e finaliza com a imponente Cascata da Roseira, de quebra, ainda visita o Mirante da Ferradura com o seu disputado balanço. 

Mas vai com calma, não é possível chegar chegando, para alcançar as cascatas é preciso de autorização para cruzar as fazendas que dão acesso às cascatas. Dividimos as visitas e banhos de rio em dois dias, ambos partindo da Fazenda das Cascatas, local que aproveitamos para acampar e que providenciou todas as autorizações de acesso para nós. 

A seguir você conhece cascata por cascata para escolher a melhor rota para você. Se você ficar em dúvida, pode optar por acampar no lugar e aproveitar para conhecer todas logo, a qual foi a minha escolha mais sensata.  

Rota das Cascatas 14km

Partindo da Fazenda das Cascatas a caminhada tem os campos como o principal cenário. As araucárias, dão um tom especial na trilha do dia. Logo no início subimos uma pequena colina e no seu topo foi  possível contemplar o rio da Cascata da Roseira emoldurado pelos campos e araucárias. Seguimos a trilha até encontrar uma estrada de terra que irá nos guiar até o Mirante da Ferradura. 

Mirante da Ferradura

Do mirante é possível avistar a Cachoeira do Rio Cerquinha e a ferradura formada pelo rio contornando o morro. Recentemente foi construído um balanço no local, o qual é disputado pelos trilheiros para garantir as melhores fotos. Mas afirmo, além de render ótimas fotos, o balanço conquista o coração por oportunizar a sensação de liberdade, com o vento batendo no rosto diante de uma paisagem belíssima e um toque de medo pela altura durante o balançar. Experimente!

Cascata dos Stumpf

Seguimos morro abaixo e logo trocamos de vegetação, ingressando dentro de uma mata nativa, composta de araucárias e xaxis, entre outras árvores, que costeavam um pequeno riacho. Poucos metros acima do rio, já nos deparamos com uma bela queda, em um paredão verde pela vegetação. Ela está praticamente dentro de um pequeno cânion, com poucos raios de sol, o que contribuiu para ter uma queda de àgua em um cenário úmido, mas cheio de vegetação. 

Retornamos para a trilha principal, seguindo entre as plantações de pinus de eliote, comum de serem encontradas no local, até o topo da Cachoeira do Rio Cerquinha.

Cachoeira do Rio Cerquinha

O Rio Cerquinha, afluente do Rio Pelotas, vai serpenteando as colinas e campos, formando pequenas quedas, até chegar na gigante cachoeira do Rio Cerquinha. A paisagem impressiona pela força da água e pela beleza ao redor. Após a queda, há um poço com mais de 10 metros de profundidade, por isso, não é recomendado o banho, uma vez que não há nenhum nível de segurança no local. Mas afirmo, contemplar o lugar já torna a caminhada válida. 

Aproveitamos a sombra das árvores na parte superior da cascata para almoçar ao som da queda da água.

Cascata da Ferradura

Depois do almoço partimos para a Cascata da Ferradura para um banho de rio. A trilha seguiu parte em estrada de terra, parte em mata nativa e parte dentro do rio. Isso mesmo, para chegar até a cascata é necessário cruzar o rio e depois seguir pelo leito mesmo. 

Dependendo da quantidade de chuvas na semana, a água pode passar da altura dos joelhos tranquilamente, mas há pouca correnteza e é possível chegar até a queda da água sem grandes dificuldades, apenas molhado. Cerca de 100 metros antes já é possível avistar a cascata em formato de ferradura, daí o nome. Na verdade, ela forma praticamente duas ferraduras. Ficamos na ferradura da esquerda, onde há mais pontos seguros para banho. 

Após recuperar as energias, retornamos até o acampamento na fazenda. No caminho há  diversas placas com o mapa das trilhas e informações sobre a rota das cascatas. Também há dois pontos com água potável na trilha, caso você leve pouca água, aproveite para encher as garrafas nas fontes naturais.

Rota das Cascatas 10 km

Se você visitar o site oficial do Circuito Cânions e Cascatas, verá que uma das rotas das cascatas é de 10km, porém, optamos por fazer um trajeto de apenas 7km, abrindo mão de um dos pontos visitados, o Mirante da Ferradura, já conhecido no dia anterior. Se você optar por fazer apenas a rota das cascatas de 10km, você irá conhecer também o mirante.

Nós resolvemos focar nas cascatas e aproveitar um pouco mais o banho de rio, por isso encurtamos o caminho, mas mesmo assim valeu muito. Em 3,5km (7km no total) visitamos 3 cachoeiras, também próximas da fazenda, nosso ponto de partida novamente. 

A trilha inicia no outro lado do rio da Roseira. Neste dia, temos a visão oposta da trilha anterior. Seguindo parte do rio da Roseira, mas subindo pela colinas, a trilha tem como primeira parada o mirante do vale da roseira, onde é possível observar o rio entrar na mata e seguir o seu curso entre as árvores. Do topo, ficamos com paisagem completa formada pelo rio, árvores, campos e céu azul.

Após, seguimos a trilha até a cascata mais longe do dia, a Cascata das Pedras, passando rapidamente pela entrada da Cascata da Roseira e pela cascatinha da caverna, a qual optamos por parar no caminho da volta.

Cascata das Pedras

Ela fica cerca de 3 km da Fazenda das Cascatas, a trilha até ela é praticamente pelo campo, ficando exposto ao sol na maioria do tempo. Lembre-se do boné e do protetor solar. Os últimos metros até a cascata são por mata fechada, uma descida curta, porém íngreme. Você chegará no rio e subirá cerca de 10 metros até a Cascata das Pedras. 

Cheia de pedras ao redor e no fundo, o que fazem com que a cascata tenha diversas quedas d ‘água. O lugar também é indicado para banho, há diferentes níveis de profundidade, por isso merece atenção ao entrar na água. Também é possível se refrescar na própria queda da água, pela lateral da esquerda você consegue atingir a queda, apenas tenha cuidado redobrado com as pedras escorregadias. 

A dica especial do lugar é uma árvore com o tronco que cresceu em direção ao rio, ficando na horizontal, a pouco mais 1 metro do chão. Rende ótimas fotos!

Cascatinha da Caverna

Depois do banho, seguimos para o segundo mergulho do dia. Retornamos parte da trilha, mas dessa vez parando na Cascatinha da Caverna. A sua queda é pequena, mas o banho de rio é delicioso. É possível acessar com facilidade tanto a parte superior como inferior da cascata. Há pontos onde não é possível encontrar o chão, sendo recomendado apenas para quem sabe nadar. Na parte superior da cascata, há uma pequena piscina de borda infinita no lado direito. Ficaria horas por lá.

A Cascatinha da Caverna também é ótima para pegar um sol na borda. Em resumo, separe um bom tempo para ficar nela, vai ser difícil você querer ir embora. 

Cascata da Roseira

A última parada do dia é também uma das cascatas mais belas das rotas. A Cascata da Roseira fica apenas 2 km da fazenda, ela tem cerca de 10 metros de altura e uma queda potente. Você se molha mesmo distante da queda. Embora suas águas sejam limpas, o banho nela não é recomendado por todos os perigos que ela oferece.   

Cerca de 100 metros antes da queda já é possível avistar a cascata. Porém, para chegar até ela é necessário passar por algumas pedras soltas lisas. O poço, em sua frente, é profundo, o que aumenta o risco para o banho. Mas, sua beleza é enorme, o que faz valer a pena se aproximar dela. 

O segredo dela está no lado esquerdo da queda. Uma pequena fenda, esconde uma passagem “secreta” para banhar-se em uma das quedas. Para visualizar a fenda, cruze o rio para o lado esquerdo e vai em direção a queda por uma trilha curta. É possível adentrar a fenda, mas vá com cuidado pois o lugar é super escorregadio. 

Fazenda das Cascatas

A Fazenda das Cascatas é o ponto de partida das trilhas, além de ser rodeada de belezas naturais, ela também conta com um camping. O local tem uma ótima infraestrutura, como wifi, iluminação e água potável. Há uma cozinha completa, banheiros e chuveiros com água quente.

Também há diversas árvores que garantem a sombra do acampamento durante o dia. 

Na fazenda também é comercializado café, almoço e janta, mediante agendamento. As refeições são deliciosas, com aquele gostinho de comida caseira. Também é comercializado bebidas, como água, refri e cerveja. Além de um queijo serrano delicioso preparado pelo Seu Zé, proprietário da fazenda.  

Também há um redário para descanso, ótimo lugar para finalizar o dia após as trilhas. Mais informações sobre o camping e reservas, podem ser feitas pelo whats (54) 99672-6886.

Como chegar:

A Fazenda das Cascatas fica a 25km do centro de Bom Jesus, sendo 8 Km com asfalto e 17 Km estrada de chão. Primeiro você deve pegar a BR 285, sentido São José dos Ausentes. Após 8 quilômetros do centro, por volta do Km 56, você já verá uma placa da Fazenda das Cascatas, sinalizando a entrada na estrada de terra na esquerda. Depois, é só seguir na estrada de terra por mais 17km, há diversas placas indicando a fazenda. Embora seja apenas 17km, normalmente as condições da estrada de terra são ruins. Não é necessário 4×4 para chegar na fazenda, porém, separe pelo menos 1 hora para o trajeto desde o centro de Bom Jesus até a fazenda. Antes de ir, lembre-se de entrar em contato com o proprietário do local ou guias locais.

Sobre a Trilha:

Dificuldade: fácil, ambas as trilhas não possuem grandes dificuldades, porém a altimetria e distância da rota de 14km pode tornar ela nível médio para alguns trilheiros menos experientes.

Tempo: 8 horas, com as paradas para banho, lanche e apreciação do local.

Comentário: A rota das cascatas é ótima, tanto para iniciantes como para trilheiros mais experientes que adoram um banho de rio ou queiram conhecer as belezas dos campos de cima da serra. É uma trilha tranquila, um ótimo passeio para o final de semana.

Wickiloc view: Esta trilha também está no Wikiloc. Aqui você pode ver o caminho de 14km e aqui a trilha de 7km.

Dicas:

  • Leve (e utilize) protetor solar e repelente;
  • Opte por fazer as trilhas de calça, a vegetação chega na altura do joelho e pode incomodar os alérgicos. Além disso, o uso de calça evita pequenos arranhões;
  • Leve pelo menos 1 litro de água, embora tenha pontos de para abastecer, dependendo a época do ano eles podem estar secos ou com a água um pouco barreta, se for semanas de muita chuva;
  • Durante a trilha vimos um pequeno escorpião, como qualquer trilha, sempre olhe o lugar onde você irá sentar ou colocar a mão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *