Trilha do Cambirela: um gigante à beira do mar

Imagina como seria uma trilha que começa a cerca de 20 metros de altitude, muito próximo do mar e às margens de um rio, e termina a 1010 metros de altitude, no alto de uma montanha? Curtiu a ideia? Essa aventura se chama Trilha do Cambirela e está na cidade de Palhoça, vizinha de Florianópolis, em Santa Catarina. A trilha, como já demonstra a diferença de altitude é pesada e demora cerca de 3 horas para subir, mas o visual lá de cima é fantástico.

Do topo da montanha é possível ver uma enorme faixa do litoral catarinense, desde da cidade de Governador Celso Ramos até a região de Garopaba, passando, é claro, por toda a Ilha de Santa Catarina. Se por um lado o visual tem o azul do oceano até o horizonte, por outro tem o verde intenso dos morros do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro. É uma paisagem linda que facilmente conquistará diversas curtidas e comentários do Facebook e no Instagram. Mas para chegar até lá, é preciso um pouco de empenho.

A Trilha do Cambirela

Para chegar até o topo da montanha há diversas trilhas, mas duas são reconhecidas como as principais – mas nem por isso bem sinalizadas. A diferença entre os dois caminhos está na paisagem ao longo da trilha e na dificuldade. A mais fácil delas passa por dentro da mata e sobe por dentro de uma vale entre o Cambirela e um morro vizinho. É uma trilha que apresenta menos trechos de grande inclinação, mas no parte final também exigirá fôlego e habilidades para superar algumas pedras, raízes em momentos bastante íngremes. Durante esse percurso, a mata fechada será companheira durante a maior parte do tempo – o que também colabora para aliviar o calor, já que caminha-se sob a sombra das árvores.

O outro caminho também começa por um trecho de mata fechada, mas na metade final segue por uma área de vegetação rasteira, exposta ao sol e muito íngreme. Essa trilha é recomendada para quem deseja um desafio mais intenso e com uma paisagem mais bonita. Ao longo desse trecho, é possível seguir o caminho sempre acompanhado do visual do mar e das praias lá embaixo, se tornando cada vez mais distantes e pequenas à medida que que você sobe a montanha.

Detalhe importante, em uma parte desse percurso é necessário o uso de uma corda para superar uma trecho muito íngreme. São cerca de 10 metros de altura que exigem força dos braços e equilíbrio com as pernas. Não é vertical, mas é muito inclinado. Como a passagem de trilheiros é constante, há um corda sempre disponível no local, porém é importante checar se ela é segura para aguentar o peso de quem sobe. Uma queda neste local pode gerar alguns ferimentos graves.

Ambas as trilhas chegam no mesmo local, conhecido como primeiro pico do Cambirela. A montanha tem três picos, sendo o segundo deles o mais alto. Deste primeiro ponto até o segunda caminha-se pela crista do morro, trecho que rende lindas fotos.

Dicas para Trilha do Cambirela

1 – Organize seu tempo

O mais comum é começar a trilha bem cedo, por volta das 8h da manhã e concluir por volta das 17h. Ou seja, em momento algum correr o risco de ficar à noite em algum trecho da trilha. Infelizmente não são raros os aventureiros despreparados que voltam perto do fim de tarde e terminam por encarar o trecho de mata fechada já escuro. Terminam por se perder e serem socorridos pelo corpo de bombeiros.

2 – Leve o necessário

Há água potável em alguns trechos da trilha, mas é importante levar uma garrafa ou cantil para ir bebendo e encher nesses pontos. Além disso, leve algo para comer ao longo da trilha (frutas e barras de cereal) e algo para comer no topo da montanha (um sanduíche leve). Esse será o momento de descanso e curtição da paisagem.

3 – O que vestir e usar

O mais importante é um calçado adequado para um trilha de terra, pedra e muito íngreme. Pegue um tênis já amaciado e de preferência resistente a esse tipo de terreno. Calças e camisetas de manga longa são interessantes para evitar arranhões, mas a trilha não exige roupa pesada. É comum trilheiros de bermuda e camiseta de manga curta. Não esqueça o protetor solar e talvez um repelente.

4 – Acampar no topo da montanha?

Não é aconselhável mas há muita gente que faz essa aventura. Neste caso é fundamental se planejar bem e entender que tanto a subida, quanto a descida no dia seguinte, serão demoradas. Leve todos os itens necessário para um acampamento e NÃO FAÇA FOGUEIRAS e claro, LEVE O LIXO CONSIGO.

5 – Esteja muito bem informado ou vá guiado

Informe-se bem sobre a trilha antes de fazer essa aventura. Não esqueça de checar a previsão do tempo. Há diversas companhias de aventuras nas região que oferecem passeios guiados até o pico do Cambirela, é uma opção para garantir a segurança e não se preocupar demais com os detalhes.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *